logotrans 2013                       BUD RACING PORTUGAL sem  fundo

A+ A A-

MX das Nações de Maggiora para ficar na historia

Maggiora Park recebe uma das mais emocionantes corridas do Motocross das Nações dos últimos tempos, cheia de qualidade, incidentes e reviravoltas.

 

 

No passado fim de semana, a pequena vila de Maggiora, Itália, recebeu aquela que é a maior corrida de Motocross do mundo todos os anos.

2016 foi um dos poucos anos em que não havia um só favorito ao título uma vez que existiam seleções muito fortes e equilibradas.

O evento deste ano foi marcado por corridas bastante intensas, muito público a assistir e apoiar as suas selecções, bom tempo, uma pista ao estilo europeu, com subidas e descidas bastante sinuosas, a elevar o grau de dificuldade de cada corrida e a permitir um bom espetáculo ao público. Foi marcado também por acontecimentos menos bons, tais como a lesão do atual campeão mundial Tim Gaiser, o incidente que envolveu o piloto japonês 59, Chihiro Notsuka, e o dominante Jason Andersen.

Também os Tugas tiveram azar umas vez que sofrerem algumas quedas nas corridas de sábado, que com a falha mecânica da mota do piloto e capitão Português Rui Gonçalves na corrida de repescagem de Domingo, quando este seguia na 2° posição, culminou no não apuramento de Portugal para as corridas principais do evento.

  

A selecção Portuguesa chegou a Itália na Quarta Feira de manhã, mas só no sábado começaram as corridas e os treinos em cima da mota. Até lá, os pilotos realizaram treinos de preparação física e poderam descansar e preparar se para as corridas do fim de semana.

Sábado os treinos cronometrados foram positivos para os Portugueses, que conseguiram fazer bons tempos e alguns ajustes nas motas.

A parte da tarde não foi tão positiva, visto que a Team Portugal não consegui apurar para as corridas de Domingo.

Na classe MXGP, o francês Romain Febre não deu hipótese aos seus oponentes dominando toda a corrida e acabando com uma vantagem de quase 20 segundos em relação ao 2° classificado, Antonio Cairoli.

Apesar de uma aparatosa queda, o piloto N°46, Rui Gonçalves, impôs um bom ritmo com um óptimo andamento, conseguindo, depois de uma excelente recuperação, conquistar a 16a posição.

Na classe MX2, houve uma disputa acesa pelo primeiro lugar entre o belga Van Horebeek e o suíço Jeremy Seewer, acabando o belga por conseguir a vitória com uma vantagem de apenas 1 segundo em relação ao suíço.

O piloto N°47, Hugo Basaula, andou bem, acabando no 20°posto.

Na classe MXopen foi Jeffrey Herlings quem dominou acabando a corrida isolado dos seus rivais que crusaram a meta quase 20 segundos depois do holandês. Gautier Paulin, Ferris Dean e Arnaud Tonus andaram colados a corrida inteira acabando respetivamente em 2°, 3°, e 4° lugar.

O piloto N°48, Paulo Alberto, sofreu uma queda logo no início da corrida, magoando-se no pulso e na mão. O piloto viria depois a sofrer outra queda devido à falta de força provocada pelas dores. Batalhou até ao fim acabando na 26a posição.

Contas feitas, Portugal acaba no 23° posto do dia, sujeitando-se assim à final B, uma derradeira "prova de morte", sendo que apenas uma seleção saíria apurada para as corridas de Domingo à tarde.

 

O principal receio da equipa lusa para a corrida de apuramento de domingo de manhã era a seleção alemã, uma seleção forte que com a lesão do piloto Max Nagl também não tinha apurado.

Os pilotos estavam confiantes, pois reconheciam a sua qualidade e sabiam que tinham andamento para ganhar a corrida, porém também tinham muita pressão uma vez que apenas uma seleção saíria apurada.

No alinhamento para a pré grelha Nagl não esteve presente, mas não foi por isso que os Portugueses baixaram a guarda.

 

Rui Gonçalves e Paulo Alberto juntamente com Hugo Basaúla estiveram simplesmente irrepreensíveis, com os dois primeiros a assumirem a segunda e terceira posições ao longo de grande parte da manga, o que garantia à equipa nacional a qualificação sem qualquer contestação. Hugo Basaúla estava igualmente entre os 15 melhores numa clara demonstração de que a qualificação directa no dia anterior tinha escapado igualmente por manifesta falta de sorte.

 

E foi essa mesma falta de sorte que mais uma vez 'assaltou' a equipa portuguesa quando na entrada para as duas últimas voltas Rui Gonçalves vê a sua moto 'calar-se' deixando o recordista de participações na prova fora de corrida. Paulo Alberto ficava com o segundo posto nas suas mãos e a qualificação dependia agora do resultado de Hugo Basaúla que foi ganhando posições e fechou a manga na 11ª posição no final de uma prestação fantástica que no entanto foi insuficiente para bater a equipa irlandesa que colocou dois dos seus pilotos na frente de Basaúla e bateu Portugal por apenas 1 ponto.

 

Foram cerca de 85 mil pessoas que se deslocaram a Maggiora para ver as tão aguardadas corridas de domingo à tarde.

 

Corrida 1 ( MXGP + MX2 )

O holandês Nr. 16, Glenn Coldenhof, fez o holeshot e rodou na frente da corrida durante as primeiras voltas. O piloto Antonio Cairoli arrancou em 4º lugar mas foi ganhando posições e na 5ª volta conseguiu mesmo passar para a liderança. Romain Febvre, que também fez um bom arranque, mostrou se imponente e passou ele para o 1º lugar onde se viria a manter até ao final da corrida. Apesar da perseguição de Cairoli a Febvre, este não consegue vencer o francês e terminou a corrida no segundo posto.

A seguir a Febvre, Cairoli seguiram se Kevin Strijbos Copper Webb e Jeremy Van Horebeek a fechar o top 5.

Coldenhof perdeu algumas posições e terminou a corrida no 6o posto.

 

Corrida 2 ( MX2 + MXopen )

Foi Jason Andersen quem fez o segundo holeshot da tarde, ganhando vantagem desde o início da corrida. Jeffrey Herlings arrancou na 4a posição mas depressa alcançou o segundo posto da corrida, tendo para isso passado o francês nr. 3 Gautier Paulin. O holandês estava a andar muito bem e muito rápido mas o americano que seguia na frente não lhe deu hipótese. Herlings ao tentar uma ultrapassagem arriscada acaba por cair e perder a disputa pela liderança. Apesar desta queda e das batalhas que se desnvolvolviam atrás de sí, piloto consegui terminar a corrida em segundo. Paulin consegue vencer então as tais batalhas que se deram pelo 3o lugar e fechar o pódio. Atrás e próximos dele ficaram os pilotos Tonus Arnaud, Dean Ferris, Shaun Simpson é J. Van Horebeek.

Jason Andersen ganhou a corrida com 6 segundos de avanço para o 2o classificado e, ao crusar a meta, decide não fazer o salto de mesa onde era dada a bandeira chadres. O piloto nr. 59, Chihiro Notsuka, que tinha sido dobrado, não se apercebeu desta forma de festejo do piloto americano e ele sim faz salto...... o piloto japonês aterrou em cima de Andersen, o nr. 6 da Team USA ficou inconsciente e teve que ser socorrido de imediato. O piloto ficou bem mas não compareceu à última corrida, dificultando por isso a vitória da sua seleção.

  

Corrida 3 ( MX1 + MXopen )

Foi Herlings quem consegui o último Holeshot do dia dominando por completo esta terceira e última corrida.

O nr.º 40 Antonio Cairoli colou-se atrás até quase ao final da corrida mas não aguentou o ritmo do piloto holandês de 23 anos.

Kevin Stijbos agarrou o terceiro lugar quando consegui passar Tommy Searl e Coldenhof, posição em que viria a terminar a corrida.

Copper Webb, sem a presença do seu colega de equipa tinha muita pressão sobre os ombros mas consegui andar bem envolvendo-se numa disputa pelo 4o lugar com o holandês Coldenhof e o francês Febvre. O holandês seguia à frente dos dois e se assim terminasse a corrida a Holanda levava a vitória para casa, mas Coldenhof deixou se passar pelo Americano que tinha desta forma posto a Team USA no primeiro lugar.

Apesar do bom desempenho do americano, Copper Webb cedeu à pressão e cometeu um erro caindo a poucas voltas do fim. Os seus 2 rivais aproveitaram a oportunidade e enviaram a seleção americana para o 3o lugar da qualificação. Febvre seguia agora em 4o lugar e deste modo a vitória pertencia à Holanda. O francês consegue passar o inglês T. Searl na última volta e conquistou assim a vitória francesa na 30ª edição do Motocross das Nações.

Foi uma corrida de loucos, cheia de emoção mas no final foram os franceses que invadiram a pista para festejar e ver a sua seleção elevar a taça.

 

Resultados Motocross das Nações 2016:

 

Corrida 1 (MXGP+MX2)

1  Romain Febvre (FRA)

2  Antonio Cairoli (ITA)

3  Kevin Strijbos (BEL)C

4  Cooper Webb (USA)

5  Jeremy Van Horebeek (BEL)

Corrida 2 (MX2+OPEN)

1  Jason Anderson (USA)

2  Jeffrey Herlings (NED)

3  Gautier Paulin (FRA)

4  Arnaud Tonus (SUI)

5  Dean Ferris (AUS)

Corrida 3 (MXGP+OPEN)

1  Jeffrey Herlings (NED)

2  Antonio Cairoli (ITA)

3  Kevin Strijbos (BEL)

4  Romain Febvre (FRA)

5  Tommy Searle (GBR)

 

 

Geral Classes:

MXGP

1  Antonio Cairoli (ITA)

2  Romain Febvre (FRA)

3  Kevin Strijbos (BEL)

4  Glenn Coldenhoff (NED)

5  Cooper Webb (USA)

MX2

1  Jeremy Van Horebeek (BEL)

2  Alex Martin (USA)

3  Jeremy Seewer (SUI)

4  Benoit Paturel (FRA)

5  Samuele Bernardini (ITA)

OPEN

1  Jeffrey Herlings (NED)

2  Arnaud Tonus (SUI)

3  Gautier Paulin (FRA)

4  Dean Ferris (AUS)

5  Evgeny Bobryshev (RUS)

 

 

Geral Nações:

1  França  p.29

2  Holanda  p.30

3  USA  p.33

4  Bélgica  p.36

5  Itália  p.44

 

Texto e foto de: João Faustino

Modificado em
Deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated.Basic HTML code is allowed.

Todos os direitos reservados - Extrememx

Login ou Registar

Utilizador Facebook?

Utilize a sua conta de facebook para se logar no nossos website.

fb iconEntrar pelo Facebook

LOG IN

Registar

User Registration