logotrans 2013                       BUD RACING PORTUGAL sem  fundo

A+ A A-

O meu nome é João Faustino, mais uma vez, tive o prazer de acompanhar a seleção Nacional de Motocross no MX das Nações em Matterley Basin (Winchester - Inglaterra). O MX das Nações são como os Jogos Olímpicos de Motocross onde os 3 melhores pilotos de cada país ai se fazem representar. Tenho 19 anos, sou natural da Marinha Grande e estou a estudar Engenharia na Universidade de Coimbra. Este é o meu "diário" de mais um grande fim-de-semana no maior evento de Motocross do Mundo. 

Quinta-feira, 28/9/2017
O dia comecou bem cedo. Apanhámos o avião no Porto com destino a Gatwick, Londres.
Depois de ir buscar o carro de aluguer fizemo-nos à estrada e parámos apenas para almoçar numa área de serviço à beira da autoestrada. Para surpresa nossa encontrámos o piloto Dean Wilson, forte representante da seleção inglesa e candidato a vencedor, a almoçar mesmo ao nosso lado.
Ao chegar a matterley basin, encontramo-nos com a seleção portuguesa. Podemos ver que havia um atraso na entrada dos pilotos para a pista. Aproveitámos este atraso para ir às compras à cidade de winchester e abastecer o frigorífico, enquanto que os pilotos portugueses foram correr.
Já ao final do dia a comitiva tuga conseguiu entrar e arranjar um bom lugar para as caravanas.

 

Sexta-feira 29/9/2017
O dia foi bastante soft. Os pilotos aproveitaram para descansar e as tarefas do dia passaram por preparar e afinar motas, ver e estudar a pista, tirar fotos e dar algumas entrevistas, preparar e verificar equipamentos.
Foi feita ainda a apresentação das 38 seleções participantes nesta edição de 2017 do motocross das nações.
À noite não faltou a tradicional chouriça assada na brasa, típica do nosso país.

 

Sábado 30/9/2017
A seleção portuguesa demonstrou a sua qualidade logo pela manhã nos treinos livres.
Na classe MXGP Rui Gonçalves fez o 11º melhor tempo mas foi Tim Gaiser a establecer a volta mais rápida.
Em MX2 o americano Zach Osborne foi o mais rápido em pista. Paulo Alberto fez o 26º tempo.
Já nos treinos livres da classe open Jeffrey Herlings provou que a sua auto confiança tem fundamento, o piloto holandês estabeleceu a volta mais rápida do circuito e foi quase 2 segundos mais rápido que a concorrência.
Hugo Basaula fez 25º.
Da parte da tarde houve corridas de qualificação e Portugal garantiu logo o apuramento para as corridas de Domingo.

Corrida de Qualificação MXGP
Max Nagl fez o holeshot mas foi Tim Gaiser que agarrou a liderança. Paulin seguiu em 2º e atrás de si vinham a lutar pelo 3º lugar Cairoli e Anstie que acabou por ter um aparatoso acidente, cedendo a sua posição para o italiano.
Rui Gonçalves arranca bem, comete um erro logo de inicio e desce para meio da tabela classificativa, e até ao final da corrida foi ganhando posições acabando em 11o lugar.

Corrida de Qualificação MX2
Hunter Lawrence consegue o holeshot seguido por Brian Bogers e Paulo Alberto que fez um excelente arranque e saiu na 3a posição para a 1ª volta. O piloto português foi perdendo alguns lugares para a forte concorrência acabando a corrida em 15º. Zach Osborne arrancou em 16º mas foi recuperando lugar a lugar até que ao final da corrida consegue ultrapassar Lawrence e conquistar a vitória.

Corrida de Qualificação MXopen
Seewer fez o holeshot mas Herlings rapidamente o passou matendo a liderança da corrida até ao final. Destacável batalha pelo 5o lugar entre Dean Wilson, Covington e Kevin Strijbos levando o inglês a melhor.
Basaula rodou em 16º por muito tempo mas cedeu a sua posição a alguns pilotos acabando em 20º.

Contas feitas, Portugal apurou em 16º lugar e ao contrário do ano passado, os pilotos portugueses puderam ir dormir descansados sem se preocuparem com a final B que decorreria na manhã seguinte.
 

 

Domingo 1/10/2017
Depois de uma noite chuvosa a pista de matterley basin ficou bastante enlameada, a organização fez os possíveis para evitar a degradação da pista mas as condições climatéricas não ajudaram em nada.
Da parte da manhã houve treinos e final B onde a Eslováquia consegui apurar para as corridas da tarde. Pouco depois de almoço a ação começou.

Corrida 1 (MXGP + MX2)
Foi o holandês Glenn Coldenhoff a fazer o holeshot mas Max Anstie depressa o ultrapassou. Cairoli arranca na frente mas caiu quando tentou passar o nr.1 Gautier Paulin que seguia em 3º.
Cole Seely teve problemas na moto e ao que tudo indica partiu a suspensão traseira. Tim gaiser consegue passar Paulin que já seguia em 2º e foi atras de Anstie mas o inglês já tinha a vitória garantida.
Rui Gonçalves estava a andar a um bom ritmo mas a optou por tirar os óculos por causa da lama que já não o deixava ver, acabou por levar com uma pedra no olho projetada pela mota doutro piloto. Isto dificultou lhe a corrida mas mesmo assim alcançou um 16o lugar.
Paulo Alberto teve problemas e ficou sem óculos na 1ª volta tendo que parar para troca-los. O atraso já era muito mas mesmo assim o piloto consegui colocar a sua Honda no 33º posto.

Corrida 2 (MX2 + Open)
A corrida começou com alguma chuva a cair, Herlings arrancou na frente e fez o Fox holeshot. Febvre seguia atrás e bastou um erro por parte do Holandês para tomar a liderança. Apesar disso não tardou até que o nr. 6 (Herlings) recuperasse a liderança. Hunter Lawrence estava a fazer uma bela exibição quando caiu cedendo o 3º lugar a Zach Osborne.
Hugo Basaula caiu e Paulo Alberto teve de novo problemas com a lama, os pilotos acabaram nas posições 29ª e 31ª respetivamente.

Corrida 3 (Open + MXGP)
Última corrida do dia, corrida que iria decidir qual o próximo país campeão do mundo de motocross, a França estava em vantagem mas a Holanda, Austrália, Suíça, Inglaterra ainda acreditavam que era possível. As emoções estavam ao rubro, tudo podia acontecer.
Notável apoio dado pelo público até ao fim a Max Anstie e Dean Wilson que se esforçaram para trazer ao seu país o melhor resultado possível.

Asntie, que corria "em casa", fez um excelente arranque e colocou-se na frente da corrida. O inglês cometeu um erro que Febvre aproveita por pouco tempo. Anstie rapidamente recupera a liderança, mas com Jeffrey Herlings a recuperar posições o inglês sabia que não havia margem para mais erros pois já tinha "the bullet" atrás de si. Foi por pouco que o holandês não conseguiu mas a vitória foi de Anstie.
Febvre e Paulin tiveram alguns sustos durante a corrida mas mesmo assim conseguiram ficar em 3o e 6o (respetivamente) e levaram o seu país mais uma vez ao topo do pódio, sagrando a França tetracampeã. 
A Holanda ficou em segundo e a fechar o pódio ficou a Inglaterra.

Prestaçao notável por parte de Rui Gonçalves que foi 9º na classe MXGP, Paulo Alberto 17º em MX2 e Hugo Basaula 16º na Open. Com estes resultados, Portugal consegue um bom 16o lugar naquele que é o maior evento da modalidade e que envolve os melhores pilotos do mundo inteiro. 

Foto de Nuno Laranjeira

Deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated.Basic HTML code is allowed.

Todos os direitos reservados - Extrememx

Login ou Registar

Utilizador Facebook?

Utilize a sua conta de facebook para se logar no nossos website.

fb iconEntrar pelo Facebook

LOG IN

Registar

User Registration